Open/Close Menu Conselho Federal de Biomedicina

 

 

O Conselho Federal de Biomedicina sediou nesta quarta-feira (28) a 121ª reunião ordinária do Fórum dos Conselhos Federais da Área de Saúde (FCFAS), entidade que reúne 14 Conselhos Federais de Fiscalização Profissional. Na pauta, conduzida pelo vice-presidente do CFBM Dr. Edgar Garcez, foram tratados temas relacionadas às comissões de Assuntos Parlamentares e de Educação. No mês de julho o FCFAS endereçou ao ministro da Saúde oficio de apoio a Resolução CNS nº 515/2016, que se posiciona contra os cursos de graduação nas áreas da saúde na modalidade de Educação a Distância e oficio de apoio ao Projeto de Lei nº 4.850/2016, que estabelece medidas contra a corrupção e demais crimes contra o patrimônio público e combate o enriquecimento ilícito de agentes públicos.

Na reunião realizada na sede do CFBM estiveram presentes os representantes dos Conselhos Federais de: Biologia, Biomedicina, Educação Física, Farmácia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutricionistas, Psicologia e Serviço Social. O encontro contou ainda com a participação da Dra Mariana Borges, coordenadora geral de Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, que apresentou aos participantes a importância do Programa Melhor em Casa, que vêm atendendo uma parcela significativa da população, sobretudo nas regiões sudeste, norte e nordeste do país, totalizando 338 municípios.

Segundo Mariana, o Programa, que teve início em 2011, atendeu em 2014 mais de 120 mil pacientes e contemplou 474 mil internações e reinternações, com destinação de verba do Governo Federal estimada em 700 milhões de reais para proporcionar ao paciente um cuidado mais próximo da rotina da família, evitando hospitalizações desnecessárias e diminuindo o risco de infecções, além de estar no aconchego do lar. Atualmente são 6 mil profissionais envolvidos – divididos em 925 equipes.

O programa “Melhor em Casa” consiste na prestação de serviços domiciliares a pessoas que apresentam dificuldades temporárias ou definitivas de sair do espaço da casa para chegar até uma unidade de saúde, ou ainda para pessoas que estejam em situações nas quais a atenção domiciliar é a mais indicada para o seu tratamento. O atendimento é realizado por equipes multidisciplinares, formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social. Outros profissionais da área de saúde poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe atende, em média, 60 pacientes, simultaneamente.

O coordenador da mesa, Dr. Edgar Garcez, parabenizou pelo Programa, reforçou que o Melhor em Casa rompe paradigmas da hospitalização e é uma nova oportunidade de atuação tanto para os biomédicos quanto para os demais profissionais da saúde. Garcez aproveitou a oportunidade e pediu à Mariana Borges que insira nas equipes de Atenção Domiciliar os profissionais da Biomedicina para que realizem os exames laboratoriais necessários, utilizando a tecnologia Point Off Care. A coordenadora recebeu bem a sugestão e disse que será inserida na pauta da próxima reunião do Comitê. Os representantes do FCFAS receberam com entusiasmo a apresentação da coordenadora do Ministério da Saúde e ainda se disponibilizaram para colaborar com o Programa no que for necessário.

© 2015 - Conselho Federal de Biomedicina